segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Dexter 1x12 Review - Nascido Livre


Season finale. Dexter e seu passado, seu relacionamento com a Rita, com o ITK, a Debra em poder de Rudy, o Doakes de olho nele, Paul sem saber ao certo o que aconteceu com ele, LaGuerta como ex-tenente... Todo fã de Dexter olha de novo para conferir se o episódio só tem 55min mesmo, pois é muita coisa para pouco tempo. Isso é uma característica interessante da série. Apesar de as temporadas só contarem com 12 episódios cada, muitas tramas são desenvolvidas, fazendo com que os episódios sejam dinâmicos e objetivos. So, here we go...
“Eu vivi na escuridão por muito tempo. Ao longo dos anos meus olhos se ajustaram até que a escuridão se transformou no meu mundo e eu pude ver. Então Rudy ligou a luz. Ele inundou minha memória e agora estou cego. (...) Não consigo pensar, está muito claro.” Dexter acostumou estar no controle de tudo e de todos, então aparece Rudy. Rudy conhece Dexter, seus feitos, seu passado, sua rotina, seu pensamento. Como lidar com alguém que está passos a sua frente? Sempre foi um jogo, um jogo doentio sobre gato e rato, então teria que haver alguma coisa deixada para trás. Dexter então vai ao seu apartamento, procurar algo que pudesse levar à Deb. Rudy deixa uma nova proteção de tela para Dexter, com a música ‘Born Free’, que é também o título do episódio, que significa ‘Nascido Livre’, então Dexter associa a música ao seu passado. Rudy quer que Dexter encontre a Deb, resta saber onde. Dex se lembra do contêiner onde viu sua mãe ser morta, onde passou dois dias trancado.
Doakes e LaGuerta visitam Batista para saber com quem ele havia comentado sobre a investigação da prostituta com as unhas da prótese pintadas, pois ela havia sido morta pelo ITK, ele diz que os únicos que sabiam era o Masuka e o Rudy, médico que trabalha com próteses, por sinal. Tudo então fica claro, e eles saem em busca de mais informações sobre a ligação de Rudy com o ITK.
Dexter epic fail! Quando LaGuerta fala sobre a provável ligação de Rudy com o ITK, ele faz uma cena um tanto exagerada, e Doakes o pressiona, pois o viu pedindo exames de sangue, então Dexter confessa que era do Rudy, era um palpite, por causa da mentira dele sobre o machucado na boca e o fato de Batista ter acertado a boca do agressor.
Dexter vai a procura do contêiner onde foi achado, com esperança de a Deb estar lá, mas tudo que encontra, são bananas. Literalmente. “Surprised, mother fucker?”  Doakes o segue, eles tem um princípio de briga, ele está decidido de que Dex tem algo a ver com o desaparecimento da Deb e o caso todo do ITK. Eles são interrompidos pelo segurança do local.
A polícia consegue um mandado para vasculhar o apartamento do Rudy. Dexter não encontra nada de anormal, a não ser uma vitrola com um disco com a música ‘Born Free’, e em cima da vitrola tinha uma boneca com um avental escrito ‘Lar, doce lar’, o que remente mais uma vez ao lugar onde ele nasceu. Dexter entende então, que Rudy não queria leva-lo onde o ‘dark passenger’ nasceu, e sim onde Dexter Moser viveu.
Rudy leva Deb ao destino desejado. Detalhe para a maneira com que ele a derruba, foi uma rasteira bem dada Q. “Geralmente eu não trabalho dessa forma. Chame de uma homenagem a um colega de trabalho que eu admiro muito.” Rudy fala ao preparar o sedativo para Debra.
Dexter encontra: “1235 Mangrove Drive”, o endereço da Laura Moser, sua mãe biológica. “Dizem que sua casa é onde mora seu coração. Talvez seja lá que eu deixei o meu.” Nesse meio tempo entre Dexter achar o endereço e chegar lá, Batista procura no banco de dados do hospício alguma ligação com Rudy Cooper, já que ele não tem antecedente criminal e encontra.
Ao chegar no endereço, Dexter começa a se lembrar do passado. Sua mãe, Laura, brincando com ele no jardim, ela tem suas unhas pintadas uma de cada cor. “Ei, onde seu irmão está escondido?” Peraê, como é que é? Irmão? Oh shiiiit, você já deve ter associado também. ‘Biney’, Brian Moser, Rudy Cooper, Ice Truck Killer, chame-o do que quiser. O fato é que Dexter tem um irmão como ele. Alguém finalmente conhece e aceita Dexter. Depois de Harry, a solidão completa atingiu Dexter, era só ele e seu passageiro sombrio, mas agora ele tem o Brian, ele tem família, ele tem um irmão, “Um irmão de verdade. Nada dessa besteira de adoção”, como disse Rudy. “We’re blood Brothers. Through birth and death.” “Somos irmãos de sangue. Através do nascimento e da morte.” Depois de uma breve conversa, e algumas lembranças, Dexter entra na casa para procurar a Deb, mas se deixa ser levado pelas memórias, a curiosidade sobre o passado o fez baixar a guarda, Rudy, então, o dopou.
O Departamento de Polícia de Miami está próximo de Rudy também, suas investigações estão chegando próximas ao objetivo.
Ao acordar, Dexter está na mesa com Rudy. Mas não em plástico, não na ‘blood room’, ele está sentado, atado. Rudy quer conversar, tenta fazer com que ele aceite sua fraternidade, e que o tenha como únia família. Depois disso o leva à Deb, ele quer consolidar a união familiar, ele quer que Dexter mate a Debra. Rudy a preparou em uma mesa, envolvida por plástico, do jeito que Dexter gosta. Dexter, obviamente, se recusa, Debra não se encaixava no código, questionado pelo Rudy. Ao ver que Dexter não conseguiria matar a Deb, Rudy toma a frente, ao mesmo tempo que a Deb acorda, mas Dex o impede de mata-la, e começam a brigar. A polícia chega ao local e Rudy foge.
[Pausa dramática para você, leitor, respirar um pouco... Sim, o episódio está tenso.]
A Deb está fisicamente bem,  mas como procedimento padrão, ela é levada ao hospital, contrariada. A decisão da permanência dela no hospital ou não é decisão de Dexter. Racionalmente nosso serial killer questiona: “O que acabei de fazer? Afastei um irmão que me aceitava e conhecia por uma irmã adotiva que me rejeitaria se soubesse e um pai adotivo que me traiu.” Mais tarde Rudy faz uma visitinha no apartamento, confere se Dex está dormindo e segue para o quarto para terminar um serviço incompleto. Ao esfaquear a Deb, surpresa! Apenas próteses na cama. “Sweet dreams Biney”.
Dexter leva Rudy a seu apartamento, onde ele matava as prostitutas, ele parece muito comovido com a situação, como se fosse matar Rudy por uma obrigação, contra sua vontade. Ele até oferece tranquilizantes para evitar a dor. A comoção é comprovada por frases como: “Você não é um troféu, mas precisa ser sacrificado” e “Você é o único que eu já quis libertar”, e atitudes como o inédito choro de Dexter. Dex simula suicídio, com carta e tudo mais.
“A verdade é que não há mais um ser vivo que possa aguentar minha verdade.” Inteligente conclusão de Dexter (Inteligente e deprimente).
Bom, a temporada foi ótima, certo? Então precisam haver ganchos para a próxima! Quais seriam? Paul começa a associar o que aconteceu e liga para Rita; Bob Hicks, orientador do Paul nos Narcóticos Anônimos vai falar com a Rita, pois na prisão, foi detectada uma fratura na cabeça, e ele não sabe como explicar como machucou; Paul liga para Rita, pedindo para ela procurar um pé de sapato perdido quando Dexter o arrastava para fora da casa da Rita, e ela realmente encontra o pé perdido do sapato, mas não questiona Dexter. Não agora.
Quer mais? Apesar de Doakes não ter encontrado nenhuma ligação, ele ainda continua de olho. É uma caçada implacável, seu tempo de folga é dedicado a ‘stalkear’ Dexter. O seguir para todos os lugares, vigiar seus passos. “A dança do meu diabo com o seu demônio no túmulo do violinista está longe de acabar.” Fala o poeta Dexter sobre Doakes.
“Às vezes imagino como seria se tudo que está escondido dentro de mim fosse revelado. Mas eu nunca saberei. Vivo me escondendo. A minha sobrevivência depende nisso.” Opa, clichê na boca dos fãs detected!
“Querida e danificada Debra. Ela está aqui para encarar o que restou do monstro, cuspir na sua carcaça, velá-lo. Agora ela também se esconde. A filha de Harry será condenada se deixar alguém ver o quão sofre por dentro. Esta é sua tragédia. A minha tragédia é que matei a única pessoa da qual não precisava me esconder. E sou o único que chora sua morte. Todos me agradeceriam se soubessem que fui eu quem acabei com sua vida. Na verdade, lá no fundo sei que apreciaram muito do meu trabalho.” Três observações aqui, 1° observação - Querida e danificada Debra, ‘Dearly Damaged Debra’, possivelmente fazendo referência livro que originou a série ‘Darkly Dreaming Dexter’, ‘Dexter - A Mão Esquerda de Deus’; 2° observação - Dexter fala isso imaginando como seria se todos soubessem do verdadeiro Dexter, e aceitassem isso; 3° observação - Até a próxima temporada!

Por: @Gabrielbarros42

0 comentários:

Postar um comentário

CARREGANDO NOVO FORMULÁRIO DE COMENTÁRIOS. AGUARDE.... SE VOCÊ ESTIVER LENDO ISSO E A PÁGINA FOI TOTALMENTE CARREGADA, NÃO USE ESTE FORMULÁRIO PARA COMENTAR. APERTE F5 E AGUARDE O NOVO FORMULÁRIO CARREGAR